deivison-Site-Logo

Já comprou seu Terreno no Metaverso?

Já comprou seu terreno no metaverso? Essa pode parecer uma conversa de maluco, mas te garanto que não é. Adquirir hoje um terreno no metaverso significa ter visão de futuro e de investimento, e eu vou te provar o porquê.

Entenda o que é o Metaverso

Bom, começando pelo início, metaverso é basicamente um espaço coletivo no qual as pessoas interagem a partir de realidade aumentada, realidade virtual e várias outras tecnologias. Ainda está em construção, mas pode ser considerado uma utopia futurista que une mundo real e mundo virtual. Uma referência para você se situar melhor seria algo como a simulação concebida pela inteligência artificial da trilogia Matrix.

Você já deve ter ouvido falar bastante sobre esse assunto, principalmente quando Mark Zuckerberg anunciou que estava investindo no metaverso. Inclusive ele modificou o nome do Facebook para Meta, indicando que sua empresa entraria numa nova fase.

Segundo o próprio Zuckerberg, “’Meta’ pode significar ‘além’ e capta nosso compromisso com a construção de tecnologias sociais que nos levam além do que a conexão digital torna possível hoje”. E é isso, o metaverso é esse mundo além do que vivemos hoje, onde estaremos imersos na experiência, e não apenas olhando para ela. E que ainda pode ser muito mais do que possamos imaginar.

Tudo será possível no metaverso: reunir-se com amigos e com a família, brincar, trabalhar, aprender, divertir, relaxar, jogar, fazer compras, viagens, criar. E é por isso, que garantir um espaço só seu, privado, ganha muita importância nesse novo mundo.

Afinal, no mundo real, de agora, você provavelmente preza pelo seu espaço privado, seja na sua casa ou no seu trabalho.

Por que seria diferente no mundo virtual, no qual as possibilidades que se abrem são muito maiores?

Várias plataformas já visualizaram essa necessidade e começaram a oferecer terrenos no metaverso. Nestas, será possível construir casas e negócios digitais. Imagine que seria como um jogo em que você vai construindo as cidades, mas nesse caso a cidade é de alguém (uma plataforma, no caso) e você está adquirindo um pedacinho de terra para construir o que deseja. E assim receber pessoas, descansar, realizar festas, shows e eventos, criar e construir todo o seu negócio, alugar para outros, fazer anúncios e até games. É seu espaço privado em um mundo virtual.

Se você ficou interessado, saiba que é possível comprar estes terrenos. Aliás, eu já tenho o meu. Para encontrar onde estão os pedaços de terra do metaverso, você deve visitar, por exemplo, uma das duas plataformas de metaverso no mercado: a Decentraland (MANA é a sua criptomoeda baseada na blockchain ethereum) e o The Sandbox, cujo token oficial é o SAND, também na blockchain ethereum.

Para comprar, é preciso escolher pedaços de solo virtual que ficam dispostos em mapas digitais divididos em lotes. Cada terreno é negociado como um token não fungível (NFT, na sigla em inglês).

Um NFT é a representação de um item exclusivo, que pode ou não ser digital. É uma sequência de letras e números, e não um documento físico, que fica guardado em uma blockchain, que por sua vez é grande banco de dados descentralizado e imutável existente a partir do nascimento do Bitcoin. Portanto, o pagamento do terreno no metaverso é feito por criptomoedas.

Além destas plataformas, outra opção para compra é os mercados secundários ou marketplaces de NFTS, como o OpenSea, um mercado P2P de tokens não fungíveis, itens digitais raros e colecionáveis.

E quanto custa um terreno?

Em média, o lote mais em conta na Decentraland foi vendido por cerca de US$ 13,5 mil. No The Sandbox, um pedaço de terra parte de US$ 12 mil.

A Decentraland colocou a venda 90 mil terrenos, cada um com 16m x 16m. Todos já foram comprados, restando apenas o comércio de terras no mercado secundário. A The Sandbox disponibilizou 166.464 lotes, cada um com 96 m2, e alguns ainda estão à venda.

Um dos mais caros foi vendido em novembro de 2021 por US$ 2,4 milhões, cerca de R$ 11,4 milhões na cotação atual. O espaço foi adquirido no metaverso da Decentraland, para ser usado para eventos digitais de moda e venda de roupas de avatares. Ele ocupa 566 m2 e é dividido em 116 sublotes, cada um medindo cerca de 5 m2.

Na plataforma da The Sandbox, o fundo de investimentos Republic Realm, especializado em imóveis digitais, comprou um terreno por US$ 4,3 milhões, ou aproximadamente R$ 20,5 milhões na cotação atual.

De acordo com o portal NonFungible.com, apenas em 2021, a Decentraland e o The Sandbox movimentaram US$ 390 milhões, com mais de R$ 2,2 bilhões em conversão direta. Realmente é um mercado enorme.

E assim como o mercado imobiliário do mundo real, os terrenos no mundo virtual também sofrem oscilações de preços, variando conforme o tamanho e a localização. Além disso, se há mais interessados que terrenos disponíveis, os valores também costumam ser mais altos. É aquela ideia de escassez, ter algo que ninguém mais tem, um gatilho extremamente eficaz quando falamos de venda.

Mas, como qualquer outra coisa, eles têm as suas vantagens e riscos. É um investimento, e deve ser visto enquanto tal. Existentes apenas no mundo virtual, mas tendo registro de propriedade, estes terrenos, autênticos e exclusivos, podem se valorizar com o tempo. Ou não.

Você teria coragem de fazer esta aposta? Compraria um terreno no metaverso? Acredita que é um tipo de investimento ou considera insano?

Conte aí a sua opinião.

Deivison Pedroza – Investidor / Conselheiro / CEO / Palestrante

Está gostando do conteúdo? Compartilhe!

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp